Novidades

Fique por dentro de todas as notícias de área de urologia e mantenha-se sempre bem informado através do nosso site

29

jan

Dormir bem pode reduzir em até 75% as chances de desenvolver câncer de próstata

Produção do hormônio melatonina pode estar relacionada à doença

Fonte:

dormir_cancerUm estudo realizado na Universidade de Harvard relacionou o risco de ocorrência do tipo avançado de câncer de próstata com os níveis de melatonina, hormônio que regula o sono e é produzido no período da noite. Esta é mais uma de uma série de pesquisas que tem vinculado as interrupções durante o sono ao surgimento precoce do câncer.

Dessa vez, os cientistas acompanharam 928 homens durante oito anos, entre 2002 e 2009. Os participantes tiveram amostras de urina coletadas para que se pudessem verificar os índices do hormônio no organismo ao acordar e ainda responderam questionários sobre seus hábitos de sono.

A pesquisa mostrou que um em cada sete homens relatou ter problemas para adormecer, um quinto tinha dificuldades em manter o sono e um terço disse tomar remédios para dormir. Aqueles que relataram esses obstáculos tinham níveis mais baixos de melatonina do que aqueles sem impedimentos durante o sono.

Ao longo do estudo, 111 voluntários foram diagnosticados com tumor de próstata. Cruzando os dados coletados com a incidência da doença, os pesquisadores observaram que os participantes que tinham níveis de melatonina superiores à média tiveram uma redução de 75% no risco de desenvolvimento de câncer de próstata avançado.

De acordo com a coordenadora da investigação, Sarah Markt, a perda do sono é um dos fatores que podem influenciar a quantidade de melatonina produzida e o aparecimento de problemas de saúde, incluindo o câncer.

— Há muitos outros fatores de risco já conhecidos para o câncer de próstata que podem estar relacionados com a produção de melatonina. Por exemplo, o estresse e a obesidade são fatores de risco e também afetam a qualidade do sono. Então, não necessariamente seria a melatonina a responsável. Ela poderia ser apenas uma consequência desses outros fatores — afirma o professor da Universidade Federal de São Paulo, Cássio Andreoni.

De acordo com o especialista, seriam necessários novos estudos, considerando a interferência desses outros fatores de risco para comprovar se a melatonina realmente tem importância no desenvolvimento do tumor de próstata.

— O que podemos dizer com certeza é que, para prevenir o câncer de próstata, deve-se consumir pouca gordura animal, fazer exercícios e controlar o estresse — garantiu Andreoni.

 

Fonte: ZeroHora